Vamos falar sobre luto?

Falar sobre morte é algo que ninguém gosta. Você já sentou em uma mesa com familiares, tomando um café gostoso e falaram sobre morte, perda... Dificilmente! Temos a tendência para falar sobre alegria, conquistas... Não estamos preparados para a morte, para perder. É ruim mesmo, porém necessário para nossa história.

 

Quando passamos por um processo de luto, após a morte de um ente querido, ou de um trabalho que gostava muito, ou uma empresa que faliu... crescemos como pessoas, como seres humanos. Aprendemos a valorizar os pequenos gestos simples: uma conversa com o melhor amigo, uma dança na chuva, um filme que há tempos gostaria de ver. Pois é! A vida muda e nossa visão em relação a ela, também.

Existem passos importantes quando estamos neste processo, como: fale sobre sua perda e sobre a dor, converse com alguém de confiança e disposta a ouvir. A cura vem pelo falar, pelo expressar suas angústias, saudades; trabalhe seus sentimentos de culpa, revolta; permita-se que nunca mais será o mesmo, a dor da morte traz mudanças de valores; evite decisões importantes, como a venda da casa ou mudança de país, espere um pouco; reserve períodos para lembrar-se da pessoa que faleceu - um tempo para você elaborar a perda; as datas de aniversário ou datas importantes são difíceis, você poderá se sentir muito sozinho; e o mais importante, integra a perda em sua história, ela não é tudo, ela é uma parte, que faz parte. É a oportunidade para nos tornarmos inteiros.

Todo processo demanda tempo. A cura demanda tempo. Então, você, que está passando por um processo de luto, valorize seu tempo. Aceite a morte, por mais dolorida que possa ser, será melhor para você e sua família.

Caso não consiga passar pela dor sozinho procure profissionais que possam te acolher. Não tenha vergonha, receio ou qualquer outro sentimento que possa fazer você ficar paralisado. A vida pulsa e precisa valer a pena para ser vivida.