Textos

Livre, a vida!

Seja livre, leve e amado!
Busque aquilo que faz sentido e acrescenta vida na sua história. 
Ame o que te pertence. Libere os fardos dos outros.
Honre seus antepassados. 
Agradeça cada passo dado. Cada lágrima derramada. Cada sorriso largo. Cada noite mal dormida. 
Viva o seu destino. Confie nele. 
Escolha a vida. Tenha fé. 
Você é o que é. 
Respeito.
Sintonia.
Eu vejo você.
Siga adiante.
Espere. Confie. Siga.
A vida flui...flua também...

Jane Teodoro

 

Vamos falar sobre o suicídio

Neste mês de setembro é realizado uma campanha sobre suicídio. Um tema que gera desconforto, ansiedade e temor. 
A cada 40 segundos uma pessoa no mundo acaba com sua vida. No Brasil, a cada 45 minutos. Isso é grave. 
Entre os 15 e 29 anos, o suicídio é uma das principais causas de morte. Acomete também crianças e idosos. 
As pessoas sentem uma dor enorme na alma e acreditam que, ao fazer tal ato a dor passará. Eles querem matar a dor e não a vida. 
Alcoolismo, depressão e uso de drogas elevam os atos. É importante ter uma conversa aberta e franca com pessoas confiáveis relatando o que tem acontecido. Seja claro. 
Se você está passando por situações de angústia, ansiedade, depressão e com pensamentos de morte, procure ajuda. Hoje existe o número 188 CVV- Centro de Valorização da vida. Existem pessoas prontas para apoio emocional e prevenção. Lembre-se: você não está sozinho.

Por: Jane Teodoro

 

O encontro consigo no processo terapêutico

Hoje, no nosso Encontro Terapêutico Sistêmico falamos sobre A linguagem dos Sentimentos. Percebemos como o ser humano é um ser em processo de desenvolvimento. Por ficar magoado em pequenas situações (aos olhos dos outros), por não saber perder, por querer controlar os momentos e por não entender o significado das suas emoções ( e outras queixas) busca ajuda terapêutica.
Uma questão importante para pensar: " onde e quando perdi?" 
Ter a compreensão dos próprios sentimentos é uma chave para a descoberta de si. Muitos vivem pelo pensamento... outros, pela emoção. O sentimento é quando faço a união dos dois: pensamento e emoção. 
Alguns clientes chegam na defesa de seus sofrimentos. Explicam, questionam, culpabilizam, reclamam... mas não aprofundam por medo de se machucarem novamente. E quanto mais o tempo passa e não se olha a mágoa, mais difícil fica o processo da cura.
Ao vivenciar os sentimentos, o ser humano aceita que é vulnerável, com suas vivências passadas e com potencial para o futuro. É o que faz sentido no seu mundo individual. 
O ser humano é sentimento. As pessoas conhecem umas às outras de acordo com as reações diante dos percalços da vida.
O processo terapêutico busca um olhar para si, com suas histórias, suas fragilidades, projetos e conquistas. Quanto mais se conecta com seu mundo interno, mais livre e saudável se apresenta para a vida. 
Sentir é viver!

Por: Jane Teodoro 

 

Na dúvida, não ultrapasse

Existem momentos na nossa vida que simplesmente não sabemos o que fazer, para onde ir, que rumo tomar... 
A dúvida aparece e junto com ela, a insegurança, o medo de errar, a responsabilidade por escolher, a vivência das suas consequências.
Escutei uma frase da minha psicóloga: "na dúvida, não ultrapasse". Isso faz sentido. É sua própria alma (intuição!) te mostrando para pensar mais um pouco. Talvez esse não seja o melhor caminho, a melhor escolha.ÂÂ É melhor e s p e r a r mais um pouco..
E quem consegue esperar o tempo certo?
Aquele que está conectado com a vida e obedece aos seus sinais.
Os resultados das escolhas corretas no tempo oportuno são paz no espírito, leveza na alma e saúde no corpo.
Então, na dúvida: não ultrapasse.

Por: Jane Teodoro - Psicóloga Familiar Sistêmica

 

Relacionamento saudável

É tão bom quando encontramos alguém que nos ajuda a olhar para frente, crescer, desdobrar e amar a vida! A alma fica leve, suave e o coração transborda de alegria!
Quantas pessoas colocam expectativas de uma felicidade em função de estar acompanhada. "Quando eu encontrar alguém vou ser feliz". Frase constante de ser ouvida. É muita responsabilidade do outro te fazer feliz. Poxa... e qual tem sido a sua responsabilidade em te fazer feliz? Você já pensou em ser responsável pela felicidade do outro? Você apenas faz parte. 
O companheiro aparece para completar sua vida, agregar amor, coragem, visão de futuro, ensinar sobre doação e entrega, permite ser você, na sua individualidade, ser parceiro nas contas a pagar, ser abraço para esquentar no frio...
Desejo que cada um busque a própria visão de felicidade e encontre no outro a pareceria e o processo da sua individualidade.
Assim fica agradável...

Por: Jane Teodoro - Psicóloga Familiar Sistêmica

 

O poder da fé

Fé, uma palavra tão pequena, mas de uma grandiosidade!! 
É como uma força que nos impulsiona e nos faz acreditar na realização de situações aparentemente impossíveis. 
Em algum momento você já sentiu que não conseguiria? A falha, o fracasso, a perda estavam bem perto de você, mas mesmo assim decidiu prosseguir. A fé retira a insegurança, medo, desistência e direciona o olhar para os céus e para o interno, bem no profundo da alma e ela diz: "você pode."
Inspira. Expira. Inspira. Expira.
A força, a garra, a conquista ganham forma e os olhos apreciam uma estrada para caminhar mais uma milha. Forças nas pernas e nas mãos. Carrega a força dos pais em você; "eles estão comigo, por onde eu for." Sua fé aumenta mais. Reconhece sua história... foram tantas decepções... tantos desarranjos... mas aqui estou! Adulta! 
Aceito meu passado, vivencio meu presente e tenho fé no futuro. Futuro cheio de possibilidades, de encontros, de coragem, de descobertas, de ensino, de crescimento.
Fé, uma palavra tão pequena, mas de uma grandiosidade...

Por: Jane Teodoro

 

O poder da fé

Fé, uma palavra tão pequena, mas de uma grandiosidade!! 
É como uma força que nos impulsiona e nos faz acreditar na realização de situações aparentemente impossíveis. 
Em algum momento você já sentiu que não conseguiria? A falha, o fracasso, a perda estavam bem perto de você, mas mesmo assim decidiu prosseguir. A fé retira a insegurança, medo, desistência e direciona o olhar para os céus e para o interno, bem no profundo da alma e ela diz: "você pode."
Inspira. Expira. Inspira. Expira.
A força, a garra, a conquista ganham forma e os olhos apreciam uma estrada para caminhar mais uma milha. Forças nas pernas e nas mãos. Carrega a força dos pais em você; "eles estão comigo, por onde eu for." Sua fé aumenta mais. Reconhece sua história... foram tantas decepções... tantos desarranjos... mas aqui estou! Adulta! 
Aceito meu passado, vivencio meu presente e tenho fé no futuro. Futuro cheio de possibilidades, de encontros, de coragem, de descobertas, de ensino, de crescimento.
Fé, uma palavra tão pequena, mas de uma grandiosidade...

Por: Jane Teodoro

 

Fobia social

Ou conhecido como transtorno de ansiedade social.

A fobia social é o medo e a ansiedade diante da exposição a determinadas situações sociais ou de desempenho. Essas situações são com frequência evitadas ou suportadas com muita angústia.

Existem pessoas tímidas, reservadas que evitam contato com pessoas no trabalho, na escola e em família. Mesmo assim, fazem um esforço para conseguir conversar com alguém. Não desistem e passam a ter relacionamentos profundos e íntimos. Algumas pessoas são tímidas por natureza e demonstram timidez precocemente em suas vidas, que pode evoluir para fobia social posteriormente.
Existem pessoas que não conseguem ir a nenhum lugar. Só de imaginar a "saída mais tarde" ficam apavoradas. Sentem enjôo, mãos suadas, enxaquecas, tremores, voz trêmula. Existem também os sintomas físicos, como: batimento cardíaco acelerado, dor no estômago, confusão, vertigem, e outros.
As causas possíveis é resultado de uma complexa interação com o meio ambiente e genes.
A hereditariedade (são comuns em pessoas da família), estrutura cerebral (amigdala), meio ambiente (pode ser aprendido ao longo da vida). Além disso, há os fatores de risco, há o histórico familiar, traumas e experiências negativas (bullying), temperamento e novidades no trabalho ou em outro ambiente.
Um diagnóstico médico é importantíssimo. O médico diagnostica a fobia social quando a pessoa tem medo ou ansiedade com todas as características a seguir: - ela é intensa e tem durado seis meses ou mais; - diz respeito a uma ou mais situações sociais; - quase sempre ocorre na mesma situação ou situações; - envolve o medo de as outras pessoas terem uma impressão negativa; - faz com que a pessoa altere seu comportamento para evitar a situação, - é desproporcional ao perigo verdadeiro, - causa angústia significativa ou prejudica o desempenho de atividades de modo significativo.
Os tipos de tratamento são por meio de terapia e medicação. Importante que sejam abordados juntos para uma maior eficácia.

Por: Jane Teodoro - Psicóloga sistêmica

 

A vida aprende com a morte

A maioria das pessoas já perdeu alguém importante. Com a morte, sentimentos profundos de tristeza, angústia, solidão, questionamentos acompanham a dor. Dor esta que é individual. Cada um vive a sua maneira. Leva-se em consideração: o vínculo com o falecido, a história pessoal e como está o seu momento de vida hoje. Não há julgamento. Não existe o certo ou errado. Vive-se do seu jeito.
Na Bíblia está escrito: “Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração." (Eclesiastes 7:2)
Vive-se um tempo de introspecção. Questiona-se como tem "levado" a vida, quais são os valores que carrega dentro de si, quais tem sido os objetivos para o futuro, o que tem buscado nas suas relações. A prioridade passa a ser o viver o presente com a qualidade de ser, ser humano. 
Ressignificações. A vida passa a ter um novo olhar. Olhar maduro diante da finitude do humano. Reverencia-se a vida.
Sinto como é válido passarmos pelo processo do luto. Meus clientes tem experimentado momentos de reflexões sobre o passado, presente e futuro. Ganhos e perdas. Aprendizados que deixarão um lindo legado.
Elaborar os momentos de tristeza, desamparo, angústia... o luto não precisa ser curado e sim, vivenciado. Caso hajam reações emocionais que tem prejudicado sua emancipação na vida, uma consulta psiquiátrica é importante.
Viva o momento da morte para que a vida pulse, em verdade...

Por: Jane Teodoro - Psicóloga Familiar Sistêmica

 
Mais Artigos...